Atentado reivindicado pelo EI no Paquistão deixa ao menos 70 mortos

Sehwan, Paquistão, 17 Fev 2017 (AFP) - Um atentato suicida reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI) deixou ao menos 70 mortos e mais de 200 feridos nesta quinta-feira (16), em um santuário sufi, no sul do Paquistão.

O ataque aconteceu no santuário de Lal Shahbaz Qalandar, em uma cidade de Sehwan, na província de Sindh, 200 quilômetros a nordeste da capital Karachi.

Os serviços de emergência chegaram em ambulâncias a Sehwan para atender aos feridos, já que o hospital mais próximo se encontra a 130 quilômetros.

Uma fonte policial explicou que um suicida entrou no santuário e acionou os explosivos entre os fiéis. O lugar estava cheio nesta quinta-feira, dia de orações considerado sagrado para essa comunidade, ramo místico do Islã que alguns grupos radicais consideram herege.

A explosão deixou pelo menos 70 mortos e 250 feridos, 40 deles gravemente, informou o ministro da Saúde da província de Sindh, Sikandar Ali Mandhro.

Trata-se do atentado mais sangrento no Paquistão desde o início do ano.

O grupo extremista sunita Estado Islâmico (EI) reivindicou rapidamente sua autoria, por meio de sua agência de propaganda Amaq.

"Alguns corpos estavam decapitados, desmembrados, e os feridos gritavam de dor enquanto pediam ajuda", contou Haq Nawaz Khan Solangi, que testemunhou a tragédia.

"Parecia que tinha chegado o dia do Juízo Final, os corpos jaziam em poças de sangue", lembrou.

- 'Covarde e vergonhoso'O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, condenou o ataque, rapidamente, em um comunicado.

"Um atentado contra um de nós é um ataque contra todos nós", declarou.

"Os últimos dias foram difíceis, e meu coração está com as vítimas. Mas não podemos permitir que esses eventos nos dividam, ou nos assustem", acrescentou.

O Paquistão vive uma melhora considerável em relação à segurança nos últimos dois anos, mas uma série de ataques nesta semana sacudiu a crescente sensação de otimismo. A maioria foi revindicada pelos talibãs paquistaneses.

O presidente do Paquistão, Mamnoon Hussainm, assegurou que "as operações contra os terroristas continuarão em todo o país".

O embaixador americano em Islamabad qualificou o atentado de "covarde e vergonhoso".

Após o ataque, o Paquistão decidiu fechar suas fronteiras com o Afeganistão, acusado por Islamabad de acolher extremistas paquistaneses.

Talibãs reivindicam ataquesAlém do atentado contra o santuário, um artefato explosivo de fabricação caseira explodiu nesta quinta, enquanto um comboio militar passava pela instável província do Baluchistão, matando três soldados e ferindo outros dois, indicou o Exército.

E, em Dera Ismail Khan, quatro policiais e um civil morreram pelas mãos de homens armados que andavam de moto.

Jammat-ul-Ahrar, uma facção dos talibãs do Paquistão, reivindicou vários ataques esta semana, incluindo um atentado suicida em Lahore, que deixou 13 mortos e vários feridos.

Na quarta-feira (15), quatro terroristas suicidas executaram um ataque no noroeste do Paquistão, matando seis pessoas.

Os atentados deixam em evidência a luta do Paquistão para acabar com o extremismo, que se intensificou depois do maior ataque ocorrido no país. Nesse episódios, talibãs paquistaneses atacaram uma escola em Peshawar em 2014. Mais de 150 pessoas morreram, crianças e adolescentes em sua maioria.

O Exército intensificou uma operação aguardada durante muito tempo nas zonas tribais semiautônomas, onde os insurgentes agiam sem impunidade, e o governo lançou um Plano de Ação Nacional contra o extremismo.

Muitos críticos advertem que as medidas não tratam as causas profundas do extremismo, e que grupos como os talibãs paquistaneses - e, cada vez mais, o Estado Islâmico - ainda podem cometer grandes atentados.

ak-mmg/fa/ahe/pjl/bc/age-gm/es/cb/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos