Irã, Rússia e Turquia tentam novas discussões sobre a Síria

Astana, Cazaquistão, 16 Fev 2017 (AFP) - Depois do adiamento de um dia por "razões técnicas", os protagonistas do conflito sírio voltarão à mesa de diálogo na tarde desta quinta-feira na capital do Cazaquistão, Astana, informou a diplomacia cazaque.

O encontro é patrocinado pelo Irã, Turquia e Rússia.

As conversações acontecerão no Hotel Rixos da capital, e contarão com a participação de delegações do regime sírio e dos rebeldes.

No entanto, não estão previstas discussões diretas entre representantes do regime e da oposição armada.

Estas conversações são a segunda parte de uma rodada iniciada no mês passado, também na capital cazaque, entre representantes do governo sírio e dos grupos rebeldes, que não resultou em avanços

O conflito iniciado em 2011 deixou mais de 300 mortos e milhões de deslocados.

"Agora é exatamente o bom momento para multiplicar os esforços com o objetivo de normalizar o processo político na Síria", declarou o emissário da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, citado pela agência de notícias Tass, em um encontro, em Moscou, com o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov.

De Mistura reiterou o apoio da ONU a estas discussões, nas quais as Nações Unidas se~rao representada por uma "equipe técnica".

Mais tarde, De Mistura manteve um encontro com o ministro russo da Defesa, Serguei Choigu, que disse esperar que as negociações de Astana permitam traçar um "mapa unificado", onde estarão marcadas todas as zonas controladas pela oposição moderada e pelos militantes extremistas.

"É especialmente importante definir as zonas onde se encontram os terroristas do grupo Estado Islâmico (EI) e da Frente al-Nosra, contra os quais seguiremos lutando junto à oposição moderada e a nossos aliados - Turquia e Irã -", ressaltou Choigu após o encontro.

A delegação de Damasco estará dirigida, como ocorreu em janeiro, pelo embaixador sírio ante a ONU, Bashar al Yaafari, enquanto os rebeldes enviaram desta vez uma delegação "mais modesta" em comparação com a presente na primeira rodada, indicou à AFP na quarta-feira um porta-voz dos rebeldes, Yehya al Aridi, ressaltando que será liderada por Mohamad ALush, do grupo Jaish al Islam.

A delegação de especialistas russos estará dirigida por Alexander Lavrentiev, enviado especial do presidente Vladimir Putin para a Síria, e no caso do Irã comparecerá o vice-ministro das Relações Exteriores, Hussein Jaberi Ansari. A ONU estará representada por uma "equipe técnica".

Estas negociações são consideradas o prelúdio da reunião que começará em Genebra no dia 23 de fevereiro sob os auspícios da ONU.

dr-cr-mp/pt/aoc.zm

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos