Alemanha proíbe boneca conectada à internet por risco de espionagem

Berlim, 17 Fev 2017 (AFP) - A Alemanha proibiu a venda da boneca conectada à internet "Minha amiga Cayla" no país, anunciaram na sexta-feira reguladores, que consideram que o brinquedo é um "dispositivo de espionagem".

A Agência Federal de Redes, que regula dispositivos de vigilância, instou os pais das crianças a desativarem o brinquedo interativo.

"Os objetos que escondem câmeras ou microfones e que são capazes de transmitir dados sem serem detectados comprometem a privacidade das pessoas", disse o chefe da agência, Jochen Homann.

"Isto se aplica em particular aos brinquedos para crianças. A boneca Cayla foi proibida na Alemanha. Isso é também para proteger os mais vulneráveis da nossa sociedade", acrescentou.

"Minha amiga Cayla", do fabricante americano Genesis Toys, pode contar histórias e responder perguntas simples feitas pelas crianças.

A boneca, que pode ser controlada à distância pelo celular, envia um áudio com a pergunta da criança para um aplicativo em um dispositivo digital, que procura uma resposta na internet e a envia de volta ao brinquedo.

Os reguladores alemães alertaram, em uma declaração, que o que as crianças dizem ou as conversas de outras pessoas poderiam ser gravados e transmitidos sem o conhecimento dos pais.

"Uma empresa também poderia usar o brinquedo para fazer propaganda diretamente para a criança ou para os pais", disse.

"Além disso, se o fabricante não tiver protegido adequadamente a conexão sem fio, o brinquedo pode ser usado por qualquer pessoa nas proximidades para ouvir as conversas sem ser detectada", acrescenta.

A Genesis Toys disse em seu site que revisa regularmente a "criptografia e as medidas de segurança física" para proteger contra o acesso não autorizado às informações pessoais dos clientes.

A fabricante advertiu, porém, que "infelizmente, nenhum método de transmissão pela internet, ou método de armazenamento eletrônico, é 100% seguro".

O órgão regulador acrescentou que vai "inspecionar outros brinquedos interativos e, se necessário, tomar outras medidas".

A Associação Europeia de Defesa do Consumidor apoiou a decisão.

"Os outros países da União Europeia deveriam seguir o exemplo do regulador alemão e retirar este produto do mercado", apontou a associação, pedindo um reforço da legislação europeia sobre ameaças informáticas.

maj-dar/pjl/jvb/eg/db/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos