Escolha de Trump para agência ambiental é confirmado pelo Senado

Washington, 17 Fev 2017 (AFP) - O Senado americano confirmou nesta sexta-feira o aliado da indústria de combustíveis fósseis e cético do aquecimento global Scott Pruitt como diretor da Agência de Proteção Ambiental (EPA), colocando um especialista jurídico no comando de um departamento que ele processou repetidamente.

A escolha do presidente Donald Trump para a direção da EPA foi uma das mais polêmicas entre os seus indicados para o gabinete, e os democratas realizaram uma sessão durante toda a noite no plenário do Senado em uma tentativa fracassada de bloquear sua confirmação.

Pruitt foi confirmado por 52 votos a 46 - um alívio para a Casa Branca dois dias depois de que o indicado de Trump para secretário do Trabalho renunciou ao cargo, em meio a controvérsias de negócios e pessoais.

Dois democratas de estados ricos em carvão, Joe Manchin da Virgínia Ocidental e Heidi Heitkamp de Dakota do Norte, votaram a favor de Pruitt.

Como procurador-geral do estado de Oklahoma, o republicano de 48 anos apresentou ou participou de mais de uma dúzia de processos judiciais para bloquear algumas das principais normas da EPA, favorecendo executivos da indústria.

Ele assume o controle de uma agência que, sob o governo do ex-presidente Barack Obama, foi responsável por implementar regulações ambientais sobre a poluição do ar e da água, as emissões de gases de efeito estufa e as emissões de combustíveis dos veículos.

Os opositores de Pruitt ridicularizaram a afirmação de Trump de que ele seria um administrador ambiental competente.

"Os republicanos estão virando as costas para décadas de progresso ambiental bipartidário", disse o democrata número dois do Senado, Dick Durbin.

"Pruitt demonstrou repetidamente sua relutância em aceitar a ciência das mudanças climáticas e seu desprezo pelas leis que protegem nosso ar e nossa água potável", acrescentou.

Durante a audiência de confirmação, Pruitt respondeu aos críticos que o veem como um cético do clima, dizendo aos senadores que a "atividade humana de alguma forma" afeta as mudanças climáticas.

Os democratas pediram, sem êxito, que a votação fosse adiada para terça-feira, dia em que um tribunal ordenou ao escritório do procurador-geral de Oklahoma liberar cerca de 3.000 e-mails entre Pruitt ou sua equipe e executivos da indústria de combustíveis fósseis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos