Síria: mais de 40 radicais executados por um grupo extremista rival

Beirute, 17 Fev 2017 (AFP) - O grupo radical Jund al Aqsa executou 41 combatentes adversários integrantes da ex-facção da Al-Qaeda na Síria e de facções aliadas, na província de Idlib, na Síria, indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH)

A ONG indicou que a Jund al Aqsa capturou suas vítimas e as executou com tiros na localidade de Khan Sheikhun na segunda-feira, apesar das mortes só terem sido confirmadas nesta sexta.

Jund al Aqsa e Fateh al Sham,a ex-facção síria da Al-Qaeda, se enfrentam desde segunda na província rebelde de Idlib, cujo controle disputam.

Os combates, que se estenderam até a província vizinha de Hama, deixaram 125 mortos nos dois grupos, incluindo os 41 executados pelo Jund al Aqsa, segundo o OSDH.

Este grupo, que Washington classifica como terrorista, é odiado pela maioria dos grupos rebeldes na região.

Por outro lado, o Fateh al Sham conta com o apoio de vários grupos aliados em uma coalizão chamada Tahrir al Sham.

Em outubro, o Fateh al Sham anunciou ter integrado o Jund al Aqsa em seu grupo, mas, pouco depois, mudou de opinião e o expulsou de suas fileiras.

Em janeiro, o Fateh al Sham enfrentou outros grupos rebeldes durante dez dias em Idlib em combates que deixaream dezenas de mortos.

Essos confrontos refletem as crescentes tensões entre diversas facções da província que, até há pouco, lutavam juntas contra as forças do regime de Bashar al Asad.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos