Senador americano quer 'dar chute no traseiro' de Moscou

Munique, Alemanha, 19 Fev 2017 (AFP) - O senador republicano americano Lindsey Graham convocou no sábado seu país a "dar um chute no traseiro" da Rússia com novas sanções, e pediu para que o presidente Donald Trump seja firme, depois de acusar Moscou de ter se intrometido nas eleições presidenciais.

Na Conferência sobre Segurança de Munique (sul da Alemanha), o senador afirmou que "2017 é o ano em que o Congresso dará um chute no traseiro da Rússia".

Depois de lembrar que uma nova proposta de lei está sendo preparada em seu país para impor sanções a Moscou, considerou que Trump havia se mostrado pouco firme com a Rússia depois do suposto ataque cibernético ao Partido Democrata e a sua candidata Hillary Clinton durante a campanha presidencial de 2016.

"Meu objetivo é colocar (essa proposta de lei) no gabinete de Trump e espero que ele concorde com esta ideia. Como líder do mundo livre, deve trabalhar conosco para punir a Rússia", acrescentou.

"Minha maior preocupação com o presidente Trump (...) é que ele nunca olhou diretamente para uma câmera e disse 'embora o Partido Democrata tenha sofrido a interferência russa, agora sou o líder do mundo livre e vocês vão pagar'", insistiu.

As sanções estariam, sobretudo, destinadas aos responsáveis pelos ciberataques que abalaram a campanha de Hillary. Segundo Washington, o objetivo do poder russo era desestabilizar a democrata em benefício de Trump.

Barack Obama havia anunciado novas sanções contra Moscou em dezembro, após este escândalo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos