Caça ilegal extermina a população de elefantes em reserva do Gabão

Miami, 21 Fev 2017 (AFP) - A população de elefantes da floresta em uma das reservas mais importantes da África Central, no Gabão, diminuiu 80% na última década devido à caça ilegal para a obtenção de marfim, segundo um estudo publicado na revista Current Biology nesta segunda-feira.

Nesse período, cerca de 25.000 elefantes foram mortos no Mikebe National Park, considerado um santuário, diz o estudo.

"Com menos de 100.000 elefantes da floresta em toda a África Central, esta subespécie está em risco de extinção, se os governos e as agências de proteção não agirem rapidamente", disse o pesquisador John Poulsen, da Universidade Duke e da Agência de Parques Nacionais no Gabão.

A maioria dos caçadores vêm do vizinho Camarões, segundo o estudo.

"Não podemos mais presumir que áreas protegidas aparentemente grandes e remotas conservarão a espécie. Os caçadores furtivos irão a qualquer lugar onde possam obter lucro", disse Poulsen.

Para calcular o número aproximado de elefantes que havia na floresta em 2014, os pesquisadores mediram o esterco no local.

Os especialistas compararam o tamanho da população estimada para 2014 com a população calculada da mesma maneira em 2004.

Os pesquisadores disseram que se deve eliminar a principal motivação dos caçadores, que é a demanda de marfim.

A partir de 2011, o Gabão adotou medidas para proteger os elefantes, ao elevar seu status de conservação para "totalmente protegidos", com a criação da Força de Polícia do Parque Nacional, a duplicação do orçamento da agência do parque nacional e tornando-se a primeira nação da África a queimar todo o marfim confiscado, disse o estudo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos