Militares americanos foram atacados na batalha de Mossul, diz coalizão

Washington, 23 Fev 2017 (AFP) - Militares americanos foram atacados e responderam com disparos durante os combates pela retomada da cidade iraquiana de Mossul - reconheceu um porta-voz da coalizão nesta quarta-feira (22), no momento em que tropas dos EUA se aproximam da linha de frente de batalha.

Hoje, os Estados Unidos contam com cerca de 450 assessores militares. A maioria integra as forças especiais, que apoiam seus aliados iraquianos. Estes últimos tentam expulsar os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) de Mossul.

Embora sua participação nos combates não estivesse programada, nas últimas semanas, esses assessores se aproximaram tanto da linha de frente que foram atacados, disse o coronel John Dorrian, porta-voz da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

"Foram atacados várias vezes e responderam com disparos em outras tantas ocasiões ao redor de Mossul", afirmou Dorrian, em conversa com a imprensa por videoconferência de Bagdá.

Dorrian não informou se algum militar americano foi ferido durante os ataques, mas um oficial que pediu para não ser identificado disse à CNN que vários funcionários foram retirados do campo de batalha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos