EUA: número 2 da Al-Qaeda pode ter morrido em ataque na Síria

Washington, 1 Mar 2017 (AFP) - O governo americano está investigando se o número dois da Al-Qaeda foi morto em um ataque aéreo na Síria - revelou uma fonte oficial à AFP, nesta terça-feira (28).

De acordo essa fonte, que pediu para não ser identificada, agências do governo americano trabalham para confirmar a morte de Abu Jair al-Masri. Segundo Washington, seria um grande golpe contra a rede extremista.

Al-Masri, de 59, era genro de Osama bin Laden, fundador da Al-Qaeda, e seria a mão direita do atual líder, Ayman al-Zawahiri.

Nascido no Egito, ele era uma das personalidades mais importantes a ter tido vínculos com a organização antes dos atentados do 11 de Setembro de 2001, de acordo com o grupo Soufan, uma consultoria privada de segurança e Inteligência.

"Foi na casa de Al-Masri em Cabul, no Afeganistão, que Khalid Sheikh Mohammed explicou aos líderes da Al-Qaeda o plano para os ataques do 11 de Setembro", de acordo com o Soufan.

Sua presença no noroeste da Síria destacou a importância que o país tem na estratégia da organização extremista, segundo analistas.

Também conhecido como Abdullah Muhammad Rajab Abdulrahman, Al-Masri se uniu a Al-Zawahiri na década de 1980 quando este pertencia ao grupo Jihad Islâmica Egípcia, antes de ambos se associarem a Bin Laden nos anos 1990.

A Inteligência americana acredita em que ele tenha participado dos atentados de 1998 contra as embaixadas do Quênia e da Tanzânia.

Em 2003, foi detido no Irã com outros membros da Al-Qaeda. Em 2015, foi usado como moeda de troca por Teerã para conseguir a libertação de um diplomata iraniano capturado pelo braço da Al-Qaeda no Iêmen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos