Ex-presidente egípcio absolvido por repressão de protestos

Cairo, 2 Mar 2017 (AFP) - A justiça egípcia absolveu nesta quinta-feira o ex-presidente Hosni Mubarak no caso da morte de manifestantes nos grandes protestos de 2011 que acabaram com seu governo depois de três décadas no poder, disse um responsável judicial.

Mubarak foi condenado à prisão perpétua em 2012, mas um tribunal de apelação ordenou um novo julgamento, no qual dois anos depois as acusações foram retiradas. A decisão desta quinta-feira do tribunal de cassação, que confirma este veredicto, é irrevogável.

O de hoje era o último processo do ex-presidente, que foi julgado em várias ocasiões desde sua renúncia, em fevereiro de 2011.

Mubarak era acusado de incitar o assassinato de manifestantes durante os 18 dias de revolta, nos quais 850 morreram em confrontos com a polícia.

Em janeiro de 2016, a corte de apelações confirmou uma pena de três anos de prisão para o ex-dirigente e dois de seus filhos por acusações de corrupção, mas a pena pronunciada levava em conta o tempo já passado na prisão e tanto Alaa quanto Gamal Mubarak foram libertados.

str-mon/se/pg/aoc/mb/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos