Protesto por prisão de brasileiro fecha fronteira entre Brasil e Bolívia

La Paz, 2 Mar 2017 (AFP) - A Bolívia pediu nesta quinta-feira ajuda ao Brasil para acabar com um protesto que impede o trânsito por duas pontes na fronteira comum após a prisão de um cidadão brasileiro acusado de sequestro pela polícia boliviana.

O bloqueio atinge duas pontes que ligam a boliviana Cobija (Pando) à cidade brasileira de Epitaciolândia (Acre).

Segundo as autoridades brasileiras, a polícia boliviana ignorou a fronteira e entrou no Brasil, no dia 11 de fevereiro, para deter o suspeito, Sebastião Nogueira do Nascimento.

"Faço um apelo às autoridades brasileiras: não é possível que dez pessoas em uma ponte e mais cinco em outra ponte internacional impeçam a circulação de mercadorias e o comércio, prejudicando a população para defender um criminoso", declarou em entrevista coletiva o ministro do Interior, Carlos Romero.

Segundo a versão boliviana, Sebastião Nogueira do Nascimento foi detido em Cobija por liderar um grupo de sequestradores "que tem provocado terror entre a população".

Mas a embaixada do Brasil em La Paz apresentou uma queixa na qual afirma que a detenção ocorreu no território brasileiro, violando a soberania nacional.

De acordo com a imprensa brasileira, o protesto é realizado por familiares e amigos de Sebastião Nogueira.

Dilma Nogueira, irmã de Sebastião, afirmou que policiais bolivianos invadiram sua casa para capturá-lo.

Brasil e Bolívia compartilham uma fronteira comum de 3.133 km que vai da Amazônia até o Chaco, onde são frequentes o tráfico de drogas e os crimes comuns.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos