Ex-premiê inglês nega querer ser conselheiro de Trump

Londres, 5 Mar 2017 (AFP) - O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair não se ofereceu ao presidente americano Donald Trump para ser seu conselheiro especial para o Oriente Médio, indicou neste domingo um porta-voz, desmentindo uma informação publicada pelo jornal inglês The Mail on Sunday.

Segundo o jornal, Blair teria se reunido na semana passada com o genro e conselheiro de Trump, Jared Kushner, para sugerir a possibilidade de trabalhar para o presidente republicano.

"O senhor Blair não se ofereceu para o posto de conselheiro especial do presidente (Trump) para o Oriente Médio", afirmou um porta-voz do ex-premiê em um comunicado, que descreve a matéria do jornal como "invenção",

Blair foi um aliado muito próximo do ex-presidente republicano George W. Bush e hoje é muito criticado por ter arrastado seu país para a guerra no Iraque junto com os Estados Unidos.

Depois de deixar o poder, Blair foi enviado especial do Quarteto para o Oriente Médio (UE, Rússia, ONU e Estados Unidos) até 2015.

rjm/mtp/ltl-gm/es/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos