Embaixador norte-coreano expulso denuncia investigação parcial da Malásia

Kuala Lumpur, 6 Mar 2017 (AFP) - A investigação malaia sobre o assassinato em Kuala Lumpur no dia 13 de fevereiro do meio-irmão do líder norte-coreano não é imparcial, declarou nesta segunda-feira o embaixador da Coreia do Norte expulso da Malásia, pouco antes de abandonar o país.

As investigações estiveram "mal orientadas pela polícia malaia. Realizaram uma necropsia sem consentimento e sem a participação da embaixada da Coreia do Norte, e detiveram mais tarde um cidadão norte-coreano sem uma prova inquestionável de seu envolvimento no incidente", declarou Kang Chol no aeroporto internacional de Kuala Lumpur.

O embaixador foi declarado persona non grata no sábado pelas autoridades malaias, depois de terem exigido que Pyongyang se desculpasse pelas críticas que colocavam em xeque a imparcialidade da investigação.

A Coreia do Norte rejeitou as conclusões da necropsia e insiste que a vítima morreu por um ataque cardíaco.

As autoridades malaias deram então 48 horas para que abandonasse o país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos