Opositor venezuelano preso há 12 dias em isolamento como punição

Caracas, 6 Mar 2017 (AFP) - O opositor venezuelano Leopoldo López permanece isolado em uma cela há 12 dias como castigo, denunciou sua esposa Lilian Tintori. Segundo ela, a alegação oficial é que seu marido brigou com os guardas carcerários.

"São 12 dias de isolamento, é tortura, ninguém pode ver Leopoldo", afirmou Tintori diante da prisão militar de Ramo Verde (periferia de Caracas), através da rede social Periscope.

Tintori difundiu no Twitter uma cópia da "notação de punição disciplinar" contra López, que implica um isolamento de 15 dias.

Segundo o texto, o político de 45 anos "se dirigiu de maneira desrespeitosa e violenta ao pessoal carcerário, fazendo ameaças e ofendendo o diretor chamando-o de covarde".

"Leopoldo sofre uma sistemática violação de direitos", denunciou Tintori, pedindo à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) que vele pelo cumprimento das medidas cautelares que concederam a López e sua família.

Em 16 de fevereiro, o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) ratificou em última instância a condenação quase 14 anos de prisão contra o dirigente opositor, acusado de incitar a violência durante protestos para exigir a renúncia do presidente Nicolás Maduro em 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos