Kuczynski nega que empresas vinculadas a ele receberam dinheiro da Odebrecht

Lima, 7 Mar 2017 (AFP) - O presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski negou nesta terça-feira que empresas vinculadas a ele tenham recebido dinheiro da Odebrecht, um caso que a Procuradoria do país pede que seja investigado pelo Ministério Público.

"É falso, completamente falso", declarou o presidente após uma atividade pública, perguntado por jornalistas sobre as suspeitas da procuradora Katherine Ampuero, baseadas em supostos depósitos da Odebrecht a companhias vinculadas a Kuczynski.

Ampuero, procuradora ad hoc para o caso de pagamento de propinas de construtoras brasileiras, informou na segunda-feira ter solicitado ao Procurador da República, Pablo Sánchez, a abertura de uma investigação preliminar contra Kuczynski, "por supostas operações suspeitas e supostos aportes da Odebrecht Latinvest Perú a favor da empresa Latin America Enterprise, que estaria vinculada ao senhor presidente".

O objetivo de Ampuero é verificar se a Odebrecht, que reconheceu ter pago subornos no Peru por cerca de 29 milhões dólares para beneficiar-se com obras públicas, participou o financiamento da última campanha de Kuczynski, que também foi primeiro-ministro de Toledo durante a licitação irregular da obra à empreiteira.

A procuradora respalda seu pedido com algumas publicações jornalísticas. O governo peruano rejeitou as acusações contra Kuczynski, que pediu à construtora que venda tudo e deixe o país.

Para o ministro de Defesa, Jorge Nieto, a Procuradoria tem o direito de apresentar denúncias, mas de maneira profissional.

"Rejeitamos com firmeza, não a denúncia, mas a falta de profissionalismo e consistência de um trabalho que aparentemente não tem as condições (...)", disse.

A procuradora Ampuero também apresentou uma denúncia contra o ex-presidente Alan García e seu ex-ministro de Transportes Enrique Cornejo, pela suposta comissão de delitos contra a administração pública.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos