Feministas são detidas em frente ao Kremlin

Moscou, 8 Mar 2017 (AFP) - Um grupo de feministas foi detido nesta quarta-feira em Moscou em frente ao Kremlin após exibirem uma faixa proclamando: "os homens estão no poder há 200 anos, acabemos com isso!".

O site OVD Info anunciou que sete feministas, incluindo duas jornalistas do jornal de oposição Novaya Gazeta e uma fotógrafa, foram levados para uma delegacia de polícia para interrogatório.

A advogada de defesa dos direitos humanos Mari Davtyan disse em sua página no Facebook que oito feministas foram presas.

Uma das ativistas, a artista Yekaterina Nenasheva, postou um vídeo no Facebook que mostra as feministas em frente ao Kremlin.

"As feministas de Moscou e São Petersburgo que ocuparam o Kremlin as saúdam neste 8 de março", escreveu Nenasheva.

A bandeira feminista refere-se à imperatriz Catarina, a Grande, última líder mulher da Rússia e morta em 1796.

De acordo com o canal independente TV Rain, as feministas também carregavam cartazes proclamando "Uma mulher para presidente" e "Nós somos maioria".

Em uma mensagem de vídeo por ocasião do dia dos direitos das mulheres, o presidente Vladimir Putin declarou que os homens russos "vão fazer tudo o que podem" a favor "das nossas mulheres amadas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos