Cortes na educação pública gera greves e protestos na Espanha

Madri, 9 Mar 2017 (AFP) - Estudantes e professores protestavam nesta quinta-feira Espanha com greves e manifestações para exigir ao governo conservador de Mariano Rajoy "a reversão dos cortes" em educação.

"Temos que recuperar os 30.000 professores perdidos" desde o início da crise econômica, no período 2007-2008, informou à AFP José Luis Pazos, presidente da confederação de pais e mães de alunos do setor público (CEAPA), um dos organismos convocantes.

Segundo disse citando dados do conselho, o gasto público em educação em aproximadamente 9 bilhões de euros anuais desde 2010, ano que a Espanha era governada pelos socialistas de José Luis Rodríguez Zapatero (2004-2011).

O Comisiones Obreras, um dos principais sindicatos do país, afirmou no Twitter que "cerca de 65%" de professores e "85% dos alunos" aderiram à greve. Contatado pela AFP, o ministério da Educação disse que até o momento não há estimativas sobre a adesão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos