Paquistão ameaça bloquear redes sociais por publicação de blasfêmias

Islamabad, 9 Mar 2017 (AFP) - Um tribunal paquistanês ordenou o governo a abrir uma investigação sobre as "blasfêmias" publicadas na Internet e ameaça bloquear o acesso às redes sociais no país, caso elas não impeçam esses conteúdos considerados insultantes ao islã.

Esta questão já havia surgido em janeiro, quando cinco militantes liberais, conhecidos por suas críticas contra extremistas religiosos e o Exército, foram sequestrados por instituições estatais, segundo opositores e defensores dos direitos humanos.

Quatro deles foram devolvidos a seus familiares, depois de serem acusados de blasfêmia pelas publicações no Facebook a favor do Estado laico, que foram menosprezadas e censuradas.

O juiz Shaukat Aziz Siddiqui do Alto Tribunal de Islamabad pediu a formação de uma comissão de investigação encarregada de apresentar conclusões na segunda-feira, acrescentando que ordenava o fechamento de algumas redes sociais se continuassem permitindo o conteúdo ofensivo, segundo advogados.

Os grupos de defesa dos direitos humanos acusam os conservadores e os partidos religiosos de calar todas as críticas ao extremismo acusando-as de blasfêmia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos