Polícia faz batida em lojas ilegais de maconha no Canadá

Montreal, 9 Mar 2017 (AFP) - A polícia realizou nesta quinta-feira batidas em lojas suspeitas de vender maconha ilegal em várias cidades do Canadá, informou a instituição.

O "Projeto Gator", como foi denominada a operação policial, afetou especificamente as lojas Cannabis Culture em Toronto, Ottawa e Hamilton, na província de Ontário, Vancouver e Columbia Britânica, segundo o comunicado da polícia.

As batidas ocorreram um dia depois da prisão de Marc Emery, autoproclamado "o príncipe da erva", e sua esposa, Jody Emery, proprietários das lojas franqueadas Cannabis Culture.

O ativista, que defendeu a legalização da maconha durante mais de 20 anos, e sua esposa foram detidos no aeroporto de Toronto na noite de quarta-feira, quando iam para a Espanha para assistir um festival dedicado à maconha.

As operações policiais coordenadas foram feitas poucos dias após o primeiro-ministro, Justin Trudeau, reafirmar que o governo vai "apresentar um projeto de lei antes do verão" (no hemisfério norte) para descriminalizar a maconha.

Entretanto, "até que tenhamos um marco para controlar e regular a cannabis, aplica-se a lei atual", sustentou.

Em dezembro, uma dúzia de lojas foram abertas ilegalmente em Montreal, no mesmo dia em que Trudeau recordou que "a venda ou a compra de maconha (são) ilegais".

Horas depois, a polícia fechou as lojas e prendeu Marc Emery, que foi acusado de tráfico de entorpecentes.

Por enquanto, somente a maconha medicinal está autorizada para a venda no Canadá.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos