Marine Le Pen denuncia 'operação política' ao ser convocada pela justiça

Paris, 10 Mar 2017 (AFP) - A candidata de extrema-direita à eleição presidencial francesa, Marine Le Pen, voltou a denunciar uma "operação política" nesta sexta-feira, dia de sua convocação a um tribunal ao qual se recusa a se dirigir, em um caso de supostos empregos fictícios no Parlamento europeu.

"Alguns querem instrumentalizar a justiça para interferir nesta eleição presidencial. Eu não participarei desta instrumentalização, que as coisas fiquem claras", declarou à rádio a chefe do partido Frente Nacional, de 48 anos, depois de ter denunciado um "complô político".

A menos de 50 dias do primeiro turno no dia 23 de abril da eleição presidencial na França, Le Pen está convocada nesta sexta-feira para um possível indiciamento no caso de suspeitas de emprego fictício de assistentes de seu partido no Parlamento europeu. A candidata já informou que não comparecerá até o fim das eleições.

A imunidade parlamentar de Le Pen foi, por sua vez, levantada em um caso de divulgação de imagens de episódios de violência cometidos pelo grupo Estado Islâmico, em sua conta no Twitter, caso que data de dezembro de 2015.

sac-ole/bpa/ic/blb/me/pa/ma

Twitter

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos