Últimos extremistas em Mossul estão cercados, afirma coalizão

Bagdá, 12 Mar 2017 (AFP) - Os últimos extremistas que permanecem na cidade iraquiana de Mossul estão cercados, depois que a Nona Divisão do exército cortou a última via de escape em Badush, no noroeste da cidade, afirmou o enviado dos Estados Unidos para a coalizão internacional de combate aos jihadistas.

"O EI (Estado Islâmico) está cercado. Na noite passada, a Nona Divisão do exército iraquiano cortou a última rota de escape" da segunda maior do Iraque e último reduto dos extremistas no país, declarou Brett McGurk à imprensa em Bagdá.

"Os combatentes (extremistas) que estão em Mossul vão morrer na cidade", acrescentou.

Ele ressaltou que a coalizão estava "muito empenhada em não apenas derrotar (o EI) em Mosul, mas garantir que os seus combatentes não possam fugir".

As autoridades americanas estimaram recentemente em 2.500 o número de jihadistas presentes na zona oeste de Mossul e na cidade de Tal Afar, mais a oeste.

McGurk afirmou que o EI perdeu 60% dos territórios que havia conquistado em 2014 no Iraque.

A ofensiva para recuperar o controle da zona oeste de Mossul é a segunda grande fase da operação lançada em 17 de outubro pelas forças iraquianas.

wd-mm/mer/jri/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos