Mais de 1.500 crianças mortas na guerra no Iêmen, denuncia Unicef

Adem, 13 Mar 2017 (AFP) - A guerra no Iêmen fez quase 7.700 mortos, incluindo pelo menos 1.546 crianças, desde a intervenção, há dois anos, de uma coalizão militar sob comando saudita para apoiar o governo contra os rebeldes, informou nesta segunda-feira uma agência das Nações Unidas.

Entre março de 2015 e o último 10 de março, pelo menos 1.546 crianças foram mortas e 2.450 outros foram mutiladas no Iêmen, informou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Entre eles, 1.022 meninos, 478 meninas e 46 crianças "de sexo desconhecido", aponta o Unicef em um comunicado.

Durante o mesmo período, 1.801 meninos e 649 meninas foram mutiladas na guerra, de acordo com a Unicef, que relatou outros 1.572 meninos utilizados como soldados.

A agência identificou 212 ataques a escolas e 95 hospitais no mesmo período.

O conflito se intensificou desde a intervenção, em março de 2015, de uma coalizão militar árabe sob a liderança da Arábia Saudita para apoiar as forças leais ao presidente Abd Rabbo Mansur Hadi contra os rebeldes xiitas huthis que tomaram a capital Sanaa em setembro de 2014.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o conflito já causou quase 7.700 mortos e mais de 42.550 feridos, desde a intervenção da coalizão.

burs-ak/feb/vl/mr/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos