Ata do interrogatório de Assange é traduzida quatro meses depois

Estocolmo, 15 Mar 2017 (AFP) - A procuradoria sueca informou nesta quarta-feira que recebeu a tradução da ata do interrogatório de Julian Assange, quatro meses após sua realização, depois de uma denúncia de estupro apresentada contra ele em 2010.

O australiano, de 45 anos, fundador do site especializado em vazamentos WikiLeaks, foi interrogado nos dias 14 e 15 de novembro na embaixada do Equador em Londres, onde está refugiado desde 2012.

Assange sempre negou o suposto estupro do qual é acusado por uma mulher sueca e afirma que a relação sexual que manteve com ela foi consensual.

"Os procuradores receberam a maior parte da tradução do interrogatório" e "seguem esperando a tradução das partes menos importantes da ata. Está previsto que esteja finalizada em pouco tempo", disse a procuradoria em um comunicado.

Assange, que se expressa em inglês, foi interrogado na presença de uma magistrada sueca por um procurador equatoriano, que escreveu a ata em espanhol.

O processo foi marcado por uma série de complicações desde que em junho de 2012 Assange decidiu se refugiar no interior desta pequena embaixada em Londres para evitar uma ordem de prisão europeia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos