Odebrecht pagará multa milionária por trabalho escravo em Angola

São Paulo, 17 Mar 2017 (AFP) - A empreiteira Odebrecht terá que pagar 30 milhões de reais para encerrar um processo por trabalho escravo de brasileiros em propriedades agrícolas em Angola, informou na quinta-feira o Ministério Público do Trabalho (MPT).

O MPT disse em nota que desse modo encerrará "a maior ação por trabalho escravo da história do Brasil".

O acordo porá fim a uma ação civil pública iniciada em 2014 em Campinas, onde foi comprovado "que o grupo submetia brasileiros a trabalho degradante" no país africano.

Os funcionários foram contratados na cidade de Américo Brasiliense, no interior de São Paulo. O montante será destinado a projetos e campanhas em benefício da comunidade.

A ação foi aberta após a publicação de uma série de reportagens da BBC Brasil.

O grupo deverá cumprir, além disso, com as obrigações impostas na sentença de primeira instância, em 2015, como não promover nem contribuir com a submissão de trabalhadores a condições análogas à escravidão, não subornar trabalhadores nem utilizar em suas empresas no exterior brasileiros que tenham viajado sem visto de trabalho.

As empresas envolvidas nesta ação são a Construtora Norberto Odebrecht, Odebrecht Serviços de Exportação e Odebrecht Agroindustrial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos