ONU inicia negociações inéditas para proibir armas nucleares

Nações Unidas, Estados Unidos, 27 Mar 2017 (AFP) - Mais de 100 países iniciam nesta segunda-feira na ONU negociações inéditas sobre um tratado para proibir as armas nucleares, convictos de que assim se reduzirá o risco de uma guerra atômica, apesar da objeção das grandes potências.

O lançamento destas negociações sobre um tratado legalmente vinculante foi decidido em outubro com o apoio de 123 países membros das Nações Unidas.

A maioria das potências nucleares, tanto as declaradas e as não declaradas, votaram, no entanto, contra essas negociações (Estados Unidos, França, Israel, Reino Unido e Rússia) ou se abstiveram (China, Índia, Paquistão).

Até o Japão, o único país a sofrer um ataque nuclear em 1945, votou não nas negociações, preocupado com a falta de consenso a respeito.

Mas a recusa desses países não dissuadiu as nações que defendem a iniciativa, como Brasil, Áustria, Irlanda, México África do Sul e Suécia, nem as centenas de ONGs comprometidas com a causa.

"Isso levará tempo, não sejamos ingênuos", comentou a ministra sueca das Relações Exteriores, Margot Wallström.

"Mas é muito importante, principalmente neste momento em que assistimos a todo tipo de discurso de demonstração de força que inclui a ameaça de uso das armas nucleares", enfatizou.

A primeira fase dessas negociações tem final previsto para 7 de julho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos