Prefeito de Seattle nega acusação de pedofilia

Los Angeles, 8 Abr 2017 (AFP) - O prefeito da cidade americana de Seattle, Ed Murray, negou nesta sexta-feira as acusações de pedofilia e prostituição envolvendo um jovem de 15 anos, que teriam ocorrido há 30 anos.

Uma denúncia apresentada na quinta-feira no condado de King, na região de Seattle, em nome de um homem nascido em 1971 e identificado pelas iniciais D.H., afirma que Murray, hoje com 61 anos, manteve entre 1986 e 1987 relações sexuais com o adolescente, que se drogava e não tinha casa.

Murray, que na ocasião tinha "uns 32 anos", propôs a D.H, que conheceu em um ônibus, "manter relações sexuais em troca de dinheiro, uma forma de prostituição infantil", revela a acusação, que traz detalhes escabrosos sobre as preferências e a anatomia do atual prefeito.

Durante uma breve entrevista coletiva, transmitida pelos canais de TV de Seattle, Murray - um democrata progressista e abertamente homossexual, declarou que as acusações são "simplesmente falsas".

"São dolorosas para mim e meu marido", revelou.

"Pelo que entendi, ele (o denunciante) tem problemas mentais", disse o prefeito sobre a suposta vítima, hoje com 45 anos.

Robert Sulkin, advogado de Murray, afirmou aos jornalistas que seu cliente "jamais teve uma conduta imprópria com um menor" e que "não é uma coincidência que a denúncia ocorra em meio à campanha" por sua reeleição.

Esta é a segunda denúncia envolvendo Murray, já que Jeffrey Simpson, 49 anos, residente em Portland, no vizinho estado do Oregon, também o acusou de agressão sexual quando era menor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos