Ataque suicida deixa três mortos em escola na Califórnia

Los Angeles, 11 Abr 2017 (AFP) - Três pessoas morreram nesta segunda-feira (10), na escola de Ensino Fundamental North Park, da cidade de San Bernardino, em um provável caso de "assassinato-suicídio" - segundo a polícia local.

De acordo com investigações preliminares, por volta das 10h30 locais (14h30, no horário de Brasília), Cedric Anderson, de 53 anos, abriu fogo na sala onde estava Karen Smith, uma professora da mesma idade, de quem estava separado. Ela faleceu. Um aluno também morreu na hora, e outro ficou gravemente ferido.

A Polícia considera a hipótese de homicídio seguido de suicídio, porque "um homem sucumbiu a seus próprios ferimentos", explicou em entrevista colegiva o tenente Mike Madden, do Departamento de Polícia de San Bernardino, cidade situada ao leste de Los Angeles.

"Vi muito sangue na parede. Corri o mais rápido que pude. Perdi um sapato", contou a aluna Brooklyn Johnson, de 7 anos, que tem autismo.

"Gostava muito dessa professora", lamentou.

Os alunos da turma de Karen são crianças com algum tipo de incapacidade, ou que precisam de atenção especial.

Os estudantes que não ficaram feridos foram levado para o campus de uma universidade próxima.

Peter Mejía, de 11, estava fazendo prova de Matemática, quando ouviu barulhos muito fortes. O medo tomou conta dele, quando a Polícia chegou e os obrigou a sair.

"A gente teve que andar com as mãos para cima", descreveu.

Quatro horas mais tarde, sua mãe foi buscá-lo em estado de choque. Com o olhar perdido, ela disse que esses incidentes "podem acontecer em qualquer lugar".

Assim como ela, dezenas de pais tiveram de esperar várias horas até poderem encontrar seus filhos e comprovar que estavam a salvo.

Tyron Edward, pai de uma menina de 7, não conseguia conter sua angústia.

"Corri para a escola e passei pelo cordão policial sem parar", contou.

Em entrevista coletiva, o porta-voz policial Mike Madden confirmou que uma mulher morreu e um homem se suicidou.

As outras vítimas são, provavelmente, crianças que ainda estão hospitalizadas, completou o policial, acrescentando que, "por precaução", os alunos foram levados para um liceu próximo.

Más lembrançasSan Bernardino já havia sido palco de um atentado de inspiração islâmica em 2 de dezembro de 2015, quando 14 pessoas morreram, e outras 22 ficaram feridas. Foi o ataque mais letal em solo americano desde o 11 de Setembro.

Nesse episódio, um casal fortemente armado - um americano e sua parceira paquistanesa - abriu fogo em uma reunião de fim de ano, organizada por funcionários de saúde de um centro para deficientes, no coração dessa cidade californiana.

O grupo Estado Islâmico não assumiu diretamente o ataque, mas parabenizou seus autores, chamando-os de "soldados" de seu autoproclamado califado.

Ainda na lista dos piores atentados nos EUA, está o ataque em junho de 2016 em uma boate gay de Orlando, na Flórida, que deixou 49 mortos e 50 feridos. Neste caso, o EI reivindicou sua autoria.

Em relação à agressão ocorrida nesta segunda em San Bernardino, os indícios apontam para um crime passional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos