EUA: secretário da Justiça quer mais rigor na aplicação de leis migratórias

Washington, 11 Abr 2017 (AFP) - O procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, anunciou nesta terça-feira (11) um pacote de orientações fiscais federais, pedindo mais rigor na aplicação de leis migratórias, em especial contra imigrantes reincidentes, ou que resistam à prisão.

"Esta é uma nova era. Esta é a era de (Donald) Trump", declarou Sessions em um discurso a funcionários de migração na cidade de Nogales, no Arizona, que faz fronteira com a cidade mexicana de Nogales, no estado de Sonora.

Ex-senador que defende linha dura contra a imigração não autorizada, Sessions assinou hoje um memorando de três páginas a todos os procuradores federais, pedindo que "aumentem seus esforços" na apresentação de acusações formais contra imigrantes em situação irregular.

As novas diretrizes contrastam com a política migratória do antecessor de Trump, Barack Obama, que priorizou a perseguição de imigrantes em situação clandestina que tivessem antecedentes criminais.

Entre os delitos que o governo passa a considerar "prioritários" para aplicar mais rigor na apresentação de acusações formais, destacam-se "o transporte e a ocultação de certos estrangeiros", atividade que Sessions definiu como um "negócio no auge".

Além disso, o memorando firmado por Sessions pede aos procuradores mais rigor na apresentação de acusações contra estrangeiros que entraram no país de forma irregular mais de uma vez.

O uso de nomes, ou de documentos falsos, e a resistência à ação dos agentes migratórios também devem ser alvo de mais rigor, tanto na apresentação de acusações formais quanto na sentença, orientou o secretário de Justiça.

Ataques contra esses agentes não serão tolerados, antecipou Sessions.

"Se alguém se atrever a atacar um dos nossos agentes no exercício de suas funções, cumprirá tempo em uma instalação federal por isso", alertou.

"Por que estamos fazendo isso? Porque é o que determinam as leis dos Estados Unidos. Prestei juramento para proteger este país de todos seus inimigos - estrangeiros, ou domésticos", afirmou.

O procurador-geral disse aos agentes migratórios que, "sob a liderança do presidente (...) vamos tornar esta fronteira segura e aplicar toda força das nossas cortes migratórias".

Trump ganhou a eleição presidencial do ano passado, apoiando-se em uma incendiária retórica contra os imigrantes em situação irregular, por meio da qual prometeu expulsar milhões deles do país e construir um muro na fronteira com o México.

Estima-se que cerca de 11 milhões de estrangeiros em situação irregular vivam hoje nos Estados Unidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos