Polícia retira manifestantes que pedem recontagem de votos no Equador

Quito, 11 Abr 2017 (AFP) - Dezenas de simpatizantes do opositor Guillermo Lasso, que perdeu o segundo turno no Equador em 2 de abril, foram retirados nesta terça-feira das proximidades da sede do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) em Quito, onde exigiam uma recontagem dos votos.

"Com ordem e sem excessos foi retirado um grupo de pessoas das proximidades do CNE", informou o ministério do Interior em um comunicado.

Os manifestantes, que estavam há nove dias em frente à sede do CNE, foram desalojados durante a madrugada por policiais que desmontaram várias barracas instaladas nas ruas.

A operação aconteceu em uma parte da Avenida 6 de Dezembro, que estava bloqueada de maneira permanente por manifestantes que exigem "transparência" na apuração. A área está sob vigilância policial.

Lasso, ex-executivo do setor bancário e candidato de direita, não reconheceu o resultado do segundo turno, que terminou com a vitória do candidato governista Lenín Moreno (com 51,15% dos votos).

Lasso denuncia uma suposta "fraude".

O principal líder da oposição antecipou que na quarta-feira apresentará ao CNE uma impugnação do resultado do segundo turno.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos