Pence chega ao Japão com Coreia do Norte na agenda

Em Tóquio

  • Toshifumi Kitamura/AFP

    Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, chega ao Japão acompanhado da família

    Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, chega ao Japão acompanhado da família

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, chegou a Tóquio nesta terça-feira (18), após visitar a Coreia do Sul, em um momento de crescente preocupação com o programa nuclear de Pyongyang.

O ponto alto da visita será o encontro com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e a questão do regime de Kim Jong-Un estará necessariamente na agenda após os testes de mísseis da Coreia do Norte em direção ao arquipélago japonês.

Apesar das pressões internacionais, a Coreia do Norte tentou no domingo (17), sem êxito, lançar um novo míssil e teme-se que o país esteja se preparando para realizar um sexto teste nuclear.

A Coreia do Norte poderia se antecipar a um ataque americano atingindo a Coreia do Sul ou o Japão, o que faz com que Tóquio e Seul olhem com preocupação a elevação do tom da administração de Donald Trump, cada vez mais belicoso.

Durante visita à zona desmilitarizada na tensa fronteira que separa o Norte e o Sul da Coreia, Pence recordou os recentes ataques dos Estados Unidos a uma base aérea síria e a jihadistas no Afeganistão.

"Nestas duas últimas semanas, o mundo foi testemunha da força e da determinação de nosso novo presidente durante operações realizadas na Síria e no Afeganistão", declarou sobre o bombardeio americano contra uma base aérea do regime sírio e o lançamento de uma superbomba contra extremistas no Afeganistão.

"A Coreia do Norte faria melhor em não colocar à prova sua determinação, ou a potência das forças armadas dos Estados Unidos nesta região", acrescentou Pence.

Os EUA já advertiram que não permitirão que a Coreia do Norte desenvolva mísseis balísticos intercontinentais capazes de transportar ogivas nucleares até o oeste dos Estados Unidos.

Tóquio pretende que a Casa Branca se concentre em pressionar a China - único aliado que resta a Pyongyang - para que o regime norte-coreano volte à mesa de negociações sobre seu programa nuclear, abandonadas em 2009.

"Com uma coordenação estreita espero que possamos pedir com firmeza à Coreia do Norte que se abstenha destas ações provocadoras e que se apegue às resoluções do Conselho de Segurança da ONU", disse o porta-voz do governo japonês Yoshihide Suga.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos