Turquia detém ativistas de esquerda após protestos contra Erdogan

Istambul, 19 Abr 2017 (AFP) - A polícia turca deteve nesta quarta-feira vários ativistas de esquerda que protestaram contra o resultado do referendo que concedeu amplos poderes ao presidente, Recep Tayyip Erdogan, segundo fontes de um partido opositor e informações.

Desde a realização do referendo, no último domingo, foram registrados protestos diários em Istambul.

O movimento que convocou os protestos, o Partido da Liberdade e da Solidariedade (ODP), sem representação no Parlamento, anunciou a detenção de seu líder em Istambul, Mesut Gecgel, sob as acusações de "desordem pública", depois de afirmar que o "sim" no referendo foi ilegítimo.

Gecgel confirmou sua detenção através de sua conta no Twitter.

O jornal esquerdista BirGun e o site opositor T24 afirmaram que ao menos cinco ativistas foram detidos, e que foram emitidas ordens de prisão contra 38 pessoas no total.

Os detidos estão em dependências policiais em Istambul para ser interrogados.

A polícia não confirmou estas detenções.

O primeiro-ministro, Binali Yildirim, havia confirmado horas antes em Ancara que o resultado do referendo era claro, e advertiu que os protestos de ruas eram ilegais.

"A Turquia é um Estado de direito (...) e não pode haver anarquia ou protestos nas ruas", afirmou.

O "sim" venceu a consulta governamental por 51,41%, um resultado que a oposição classifica de fraude, razão pela qual apresentou uma demanda ante a máxima autoridade eleitoral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos