Governo Trump frea programa de alimentação saudável de Michelle Obama nas escolas

Washington, 2 Mai 2017 (AFP) - O governo Trump freou um programa iniciado pela ex-primeira-dama, Michelle Obama, que promovia comidas saudáveis em algumas escolas, com menos sal, gordura e açúcar.

O Departamento de Agricultura explicou nesta segunda-feira em um comunicado que esta reforma dará às escolas americanas "mais flexibilidade", e evitará que as crianças joguem no lixo alimentos menos apetitosos servidos por esse programa de saúde pública.

O programa, que fazia escolas adotarem melhores medidas nutricionais em troca de subsídios do governo, no contexto de uma lei aprovada 2012, era uma das maiores conquistas de Michelle Obama.

Essa iniciativa, considerada crucial na luta contra a obesidade infantil, restringia as quantidades de sal e de lácteos açucarados além de estabelecer um aumento dos cereais compostos nas comidas escolares.

Segundo o Departamento de Agricultura, estas exigências nutricionais custaram 1,2 bilhão de dólares aos distritos escolares e aos estados nos últimos cinco anos.

O novo secretário de Agricultura, Sonny Perdue, assegurou que, sem essas normas de nutrição, as crianças comerão com mais entusiasmo em vez de tirar sua comida.

Aproximadamente um em seis jovens americanos, de 2 a 19 anos de idade, tem obesidade ou sobrepeso, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos