Trump eufórico promete acabar com a 'catástrofe' do Obamacare

Washington, 4 Mai 2017 (AFP) - O presidente americano, Donald Trump, prometeu nesta quinta-feira acabar com a "catástrofe" do sistema Obamacare, pouco depois que a Câmara de Representantes aprovou um projeto de lei que modifica o mercado de seguros de saúde particulares.

O sistema Obamacare "está morto", disse Trump na Casa Branca. "Vamos terminá-lo e seguir fazendo muitas outras coisas", acrescentou o presidente, que disse sentir "muita confiança" de que o projeto será rapidamente aprovado no Senado.

Os legisladores republicanos conseguiram 217 votos para aprovar o projeto de lei, apenas um voto a mais do que os 216 necessários.

Nada menos do que 20 legisladores do próprio partido republicano votaram contra o projeto, juntamente com a esperada resistência dos 193 integrantes do bloco do partido Democrata.

A iniciativa será agora enviada ao Senado, onde deverá sofrer grandes mudanças antes de ser submetida ao voto na próxima semana.

A eliminação e substituição do Obamacare foi uma das mais controversas promessas de campanha eleitoral de Trump: repetida insistentemente, mas sem nunca apresentar uma alternativa concreta ao sistema.

Em março, a Casa Branca chegou a enviar um projeto de lei ao Congresso, mas a iniciativa dividiu o partido Republicano, pois um setor ultra-conservador considerou que não se afastava o suficiente do modelo Obamacare.

Diante do iminente naufrágio do projeto, o governo retirou o projeto da agenda e iniciou um esforço para unificar o partido e elaborar um novo texto, aprovado em votação apertada nesta quinta-feira na Câmara dos Representantes.

"Esta lei é a concretização de uma promessa que temos feito a todos os americanos", disse o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan. "Esperamos este dia durante sete anos", acrescentou, em alusão ao Obamacare.

Enquanto isso, a líder do bloco democrata, Nancy Pelosi, disse que o projeto de lei "é um corte dos impostos sobre os mais ricos, em detrimento dos mais pobres. É um dia triste".

O legislador democrata John Conyers foi ainda mais enfático: "Se adotarmos essa lei, tem gente que vai morrer".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos