Justiça ordena prisão domiciliar do presidente da Petrobras Bolívia

La Paz, 7 Mai 2017 (AFP) - A Justiça boliviana determinou a prisão domiciliar do presidente da Petrobras Bolívia, o brasileiro Marcos Benício Pompa Antunes, por uma dívida milionária com uma construtora - informou a imprensa boliviana neste sábado (6).

"O motivo da detenção é uma suposta dívida de US$ 2,5 milhões com a empresa construtora e de serviços Vialco SRL", relatou o portal do jornal "El Deber", de Santa Cruz (leste), onde a sucursal da Petrobras tem seus escritórios.

A ordem de detenção foi emitida pela Sala Penal Segunda da Corte Superior de Santa Cruz em cumprimento de uma sentença emitida em 22 de março passado.

O portal do jornal boliviano indica que o próprio gabinete da Petrobras na Bolívia confirmou a medida contra seu principal executivo.

A Petrobras está presente na Bolívia desde 1996 e, hoje, desenvolve operações de exploração e extração de hidrocarbonetos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos