Coordenador de inteligência nos EUA pessimista sobre Afeganistão

Washington, 11 Mai 2017 (AFP) - O coordenador nacional de inteligência dos Estados Unidos, Daniel Coats, se mostrou pessimista nesta quinta-feira sobre a evolução da situação no Afeganistão, enquanto a Casa Branca pretende reforçar o número de efetivos que mobilizou neste país.

"A situação política e de segurança no Afeganistão certamente irá se deteriorar ao longo de 2018, apesar do aumento modesto da ajuda militar dos Estados Unidos e de seus sócios" da Otan, estimou Coats ante o Congresso.

"Os talibãs provavelmente continuarão ganhando terreno, especialmente nas áreas rurais", disse Coats durante a apresentação de um relatório anual da inteligência americana sobre as ameaças mundiais.

"O desempenho das forças de segurança afegãs provavelmente se degradará devido às operações dos talibãs, às perdas em combate, às deserções, a uma logística pouco eficiente e à debilidade do comando", acrescentou.

Depois de vários anos de diminuição de efetivos no Afeganistão, a Otan pretende inverter esta estratégia e enviar milhares de soldados adicionais, enquanto o governo de Cabul não consegue frear os ataques talibãs.

A Otan oficialmente terminou sua missão no Afeganistão no fim de 2014 e mantém em terra cerca de 13.000 tropas terrestres, mais da metade delas americanas, para treinar e assessorar as forças de segurança afegãs.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos