Governo venezuelano denuncia que opositores queimaram homem durante protesto

Caracas, 21 Mai 2017 (AFP) - O governo venezuelano denunciou neste domingo que manifestantes opositores atearam fogo a um homem durante um protesto contra o governo de Nicolás Maduro ocorrido neste sábado em Caracas.

"Loucura crescente. Ateiam fogo a um ser humano durante uma 'manifestação pacífica' da oposição em Caracas. Fascismo inoculado", denunciou no Twitter o ministro de Comunicação e Informação, Ernesto Villegas, ao compartilhar um vídeo do ocorrido.

O homem, identificado como Orlando Figuera, 21, está internado em um hospital do leste da capital com queimaduras de primeiro e segundo graus em 80% do corpo e feridas de arma branca, informou o Ministério do Interior e Justiça no Twitter.

A Promotoria anunciou que abriu uma investigação sobre o ocorrido.

Villegas denunciou que os jovens que moram em favelas e são contratados, segundo ele, pela oposição para protestar de forma violenta "se expõem a serem confundidos com infiltrados (que apoiam o governo), o que pode lhes custar a vida ou a integridade".

O deputado governista Earle Herrera afirmou em seu programa semanal de TV que o homem queimado foi acusado de ser chavista ou de estar roubando.

A liderança opositora não se pronunciou sobre o ocorrido. Governo e oposição se responsabilizam mutuamente pela violência nas manifestações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos