Imprensa estrangeira no México condena homicídio de Javier Valdez

México, 22 Mai 2017 (AFP) - Correspondentes estrangeiros no México condenaram neste domingo (21) o assassinato do repórter e colaborador da AFP Javier Valdez e exigiram um compromisso real das autoridades para conter a impunidade e proteger os jornalistas no país.

"Estamos abalados com esse novo crime, que faz parte da recente escalada de agressões a nossos colegas jornalistas mexicanos, cuja coragem admiramos profundamente", diz a carta assinada por 186 jornalistas de veículos estrangeiros no país a quase uma semana do assassinato de Valdez.

Os jornalistas estrangeiros ressaltaram que um "efetivo acesso à Justiça é fundamental para frear as agressões e garantir o exercício do jornalismo em condições de segurança e liberdade".

A carta foi assinada por correspondentes de agências de notícias (AFP, AP, Reuters, EFE, DPA) e de grandes jornais (The New York Times, El País, Le Monde, Financial Times), entre outros veículos.

Javier Valdez, de 50 anos, foi morto a tiros na última segunda-feira (15) em Culiacán, capital de Sinaloa (noroeste), perto da redação do Ríodoce, semanário fundado por ele em 2003. Há mais de uma década era colaborador da AFP e também correspondente do jornal La Jornada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos