França quer proibir que ministros e deputados contratem parentes

Paris, 1 Jun 2017 (AFP) - O governo francês anunciou nesta quinta-feira que pretende proibir que os ministros e deputados contratem parentes, como parte de uma série de medidas para moralizar a política após os escândalos que sacudiram a campanha presidencial francesa.

O ministro da Justiça, François Bayrou, disse que o governo tem como objetivo restabelecer a confiança nos políticos, que foi fragilizada com o escândalo dos empregos supostamente fantasmas que abalaram o candidato conservador à presidência François Fillon.

Fillon, que era o favorito, desabou nas pesquisas depois que a imprensa revelou que sua esposa e dois filhos foram beneficiados por empregos supostamente fictícios como assistentes parlamentares.

Desde que chegou à presidência da França em maio, Emmanuel Macron transformou a moralização da vida política em uma prioridade.

Mas o seu projeto foi ofuscado pela abertura de uma investigação judicial contra um de seus ministros por um caso de transação imobiliária supostamente irregular.

bur-meb/mb/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos