Justiça venezuelana ameaça prender Capriles por piquetes

Caracas, 1 Jun 2017 (AFP) - O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) advertiu nesta quarta-feira que o líder opositor Henrique Capriles poderá ser detido caso não reprima os bloqueios de rua nos protestos contra o presidente Nicolás Maduro no estado de Miranda, do qual é governador.

Ao admitir uma ação de moradores do Estado, que reclamam das constantes barricadas, a Sala Constitucional do TSJ determinou que Capriles "realize todas as ações" necessárias para "evitar que se coloquem obstáculos nas vias públicas que impeçam o livre trânsito".

O TSJ adverte que em caso de descumprimento de sua decisão, Capriles deverá enfrentar a pena estabelecida no artigo 31 da lei de amparo, que contempla de seis a quinze meses de prisão.

O Supremo determina ainda que Capriles proceda a "imediata remoção dos obstáculos e exerça a proteção dos vizinhos e habitantes de seu Estado, impedindo reuniões ou manifestações de pessoas nas vias públicas que impeçam o livre trânsito".

Diversos prefeitos - todos da oposição - já receberam a mesma advertência do TSJ, enquanto persistem os protestos contra Maduro, que desde o dia 1º de abril já deixaram 60 mortos, mais de mil feridos e cerca de 3 mil detidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos