Legislador dos EUA defende morte de 'todos' os radicais islâmicos

Washington, 5 Jun 2017 (AFP) - O republicano Clay Higgins, membro da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, defendeu que todos os "suspeitos de islamismo radical" devem ser perseguidos e mortos, após o atentado de Londres.

"Nem um suspeito sequer de islamismo radical merece consideração", escreveu Clay Higgins, congressista de primeiro mandato e ex-oficial da polícia, em uma nota no Facebook no domingo, que incluía uma foto de um dos supostos agressores de Londres derrubado no chão.

"Devem ser perseguidos, identificados e mortos. Todos mortos. Para o bem comum... Matem todos".

O congressista também escreveu que o mundo livre e "toda a cristandade" estão "em guerra com o terror islâmico".

A nota foi publicada após o atentado do sábado, no qual sete pessoas foram assassinadas quando um furgão atropelou vários pedestres na London Bridge e seus ocupantes saíram apunhalando pessoas nas ruas.

Representante do Estado da Louisiana, Higgins foi eleito em um distrito que votou em massa no presidente Donald Trump.

"Estas afirmações de Higgins são contrárias aos princípios sobre os quais este país foi fundado", reagiu em um tuíte a União de Liberdades Civis Americana (ACLU).

Higgins ficou conhecido por sua ação policial vigorosa na Louisiana, onde era chamado de "John Wayne cajun".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos