Líder da oposição britânica defende pedidos de renúncia de May por cortes na polícia

Londres, 5 Jun 2017 (AFP) - O líder trabalhista Jeremy Corbyn apoiou nesta segunda-feira os pedidos de renúncia da primeira-ministra britânica Theresa May pelos cortes na polícia, após o terceiro atentado no país em três meses.

Em uma entrevista ao canal ITV, uma jornalista perguntou se ele apoiava os pedidos e Corbyn, a quatro dias das eleições parlamentares, respondeu: "Certamente eu o faria... nunca deveríamos ter cortado o número de policiais".

May foi ministra do Interior entre 2010 e 2016, antes de chegar a Downing Street após a renúncia de David Cameron, cujo governo tinha como meta eliminar o déficit público e determinou a redução do número de funcionários em todos os setores.

"Houve apelos de pessoas muito responsáveis no tema, que estão muito preocupadas porque ela estava no ministério do Interior por todo este tempo, presidindo os cortes no número de policiais e agora afirma que temos um problema. Sim, nós temos um problema: nunca deveríamos ter cortado do número de policiais", disse Corbyn.

Ao ser questionado novamente se desejava a saída de May, Corbyn disse: "Nós temos uma eleição na quinta-feira e esta, talvez, seja a melhor oportunidade para lidar com isto.

De acordo com o Instituto de Estudos Fiscais, uma respeitada organização independente especializada nas contas públicas, o número de policiais caiu 14% entre 2009 e 2016, exatamente o mesmo que o gasto real com as forças de segurança.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos