ONU acusa EI de ter executado 163 pessoas durante fuga de Mossul

Genebra, 6 Jun 2017 (AFP) - O Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al-Hussein, acusou nesta terça-feira o grupo extremista Estado Islâmico (EI) pela morte de 163 pessoas no dia 1 de junho, no momento em que tentavam fugir da cidade iraquiana de Mossul.

"A brutalidade Daesh (acrônimo árabe do EI) e de outros grupos terroristas parece não ter limites, afirmou no Conselho de Direitos Humanos da ONU.

"Ontem (segunda-feira) minha equipe informou que ainda há corpos de homens, mulheres e crianças iraquianas assassinadas nas ruas do bairro de Al-Shira, zona oeste de Mossul, depois que 163 pessoas foram mortas pelo Daesh para evitar sua fuga", completou.

Al-Hussein disse que várias pessoas estão desaparecidas no bairro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos