Lavrov denuncia "agressão" da coalizão liderada por Washington contra forças anti-EI na Síria

Moscou, 7 Jun 2017 (AFP) - Os ataques da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos contra as tropas favoráveis ao governo sírio são um "ato de agressão" contra as forças "maie eficazes" na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), denunciou o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov.

"É um ato de agressão que viola a soberania e a integridade territorial da Síria e que visa, de modo intencional ou não, as forças mais eficazes no combate aos terroristas", disse Lavrov.

"Naturalmente estamos preocupados", completou.

A coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos na Síria atacou novamente na terça-feira à noite as forças pró-regime na região de Al-Tanaf, perto das fronteiras com o Iraque e a Jordânia.

Segundo a coalizão, o grupo "de mais de 60 soldados", que também contavam com um tanque e artilhariam representava uma "ameaça".

Esta é a segunda vez que a coalizão bombardeia a região de forças leais ao regime, apoiadas pelo Irã, segundo o Pentágono.

Em 18 de maio aconteceu um primeiro bombardeio, condenado por Síria e Rússia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos