EUA condenam repressão na Rússia e pedem libertação de manifestantes

Washington, 12 Jun 2017 (AFP) - A Casa Branca condenou a detenção de centenas de manifestantes anti-corrupção na Rússia nesta segunda-feira, em uma crítica incomum do governo do presidente Donald Trump sobre violação dos direitos humanos de parte do Kremlin.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, pediu ao governo da Rússia para libertar imediatamente todos os manifestantes pacíficos, detidos em marchas realizadas em todo o país.

"O povo russo merece um governo que apoie as ideias de livre mercado, um governo transparente e responsável, tratamento igualitário sob a lei e capacidade de exercer seus direitos sem medo de represálias", disse Spencer.

Autoridades detiveram o político russo opositor Alexei Navalny e cerca de mil de seus partidários nesta segunda-feira, durante protestos contra a corrupção celebrados em todo o país.

A Casa Branca qualificou a detenção de observadores de direitos humanos e de jornalistas como afronta a "os valores centrais da democracia" e destacou que vai continuar monitorando a situação.

O governo Trump sempre se absteve de fazer comentários sobre os abusos de direitos humanos para além de suas fronteiras e frequentemente enaltece o regime de Vladimir Putin.

Os funcionários da administração anterior advertiram para o risco de se manter uma postura de incentive regimes autoritários que, por não sentirem pressão de parte dos Estados Unidos, ficam mais confortáveis para implantar medidas severas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos