ONU preocupada com civis mortos na ofensiva contra a cidade síria de Raqa

Genebra, 14 Jun 2017 (AFP) - A comissão de investigação da ONU sobre a Síria pediu nesta quarta-feira às partes em conflito uma proteção maior à população e se declarou "gravemente preocupada" com o crescente número de civis mortos, especialmente na ofensiva contra o reduto jihadista de Raqa.

"Constatamos que a intensificação dos bombardeios aéreos, que preparam o terreno para a ofensiva das Forças Democráticas Sírias", aliança árabe-curda apoiada pelos Estados Unidos, para reconquistar Raqa do grupo Estado Islâmico (EI), "gerou não apenas um número aterrador de perdas de vidas de civis, como também levou 160.000 civis a fugir" declarou o presidente da Comissão, o brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro.

"O imperativo de lutar contra o terrorismo não deve (...) acontecer em detrimento dos civis que se encontram involuntariamente nas regiões donde está o EI".

Esta comissão da ONU foi criada em agosto de 2012, poucos meses depois do início da guerra na Síria. É presidida pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro e já elaborou vários relatórios.

Mais de 320.000 pessoas morreram desde o início do conflito na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos