Explosão em escola na China foi provocada por bomba e autor morreu no ataque

Fengxian, China, 16 Jun 2017 (AFP) - A explosão de quinta-feira na entrada de um jardim de infância na China, que matou oito pessoas, foi provocada por uma bomba fabricada por um jovem com problemas de saúde que também morreu, anunciaram as autoridades locais.

"Material explosivo foi encontrado no apartamento do homem de 22 anos", identificado como Xu, afirma um comunicado divulgado pelo ministério da Segurança Pública de Fengxian, cidade do leste do país onde aconteceu a tragédia.

O criminoso escreveu as palavras "morte" e "destruição", entre outras, em uma parede de seu apartamento

O homem, afetado por um distúrbio do sistema nervoso que pode provocar problemas cardíacos e de pressão arterial, havia abandonado os estudos, mas trabalhava, afirma o comunicado da polícia, sem revelar outros detalhes.

A explosão matou oito pessoas e deixou 65 feridos. As imagens divulgadas pela imprensa estatal mostravam crianças e mulheres sentadas no chão, algumas cobertas de sangue. Uma mulher abraçava uma menina, que chorava.

Os jornais Global Times e China Youth Daily citaram testemunhas, segundo as quais a causa da explosão teria sido um botijão de gás de um vendedor de comida ambulante.

Um morador afirmou à AFP que centenas de crianças frequentam a escola e que as vítimas eram em sua maioria pessoas que esperavam os alunos na saída das aulas.

Um sobrevivente afirmou que as portas da escola abriram às 16H50 (5H50 de Brasília) e a explosão aconteceu em seguida. Mas as crianças ainda não haviam iniciado o procedimento de saída.

Alunos e professores estavam nas salas no momento da tragédia e nenhum deles foi atingido, de acordo com as autoridades.

O ministro da Segurança Pública, Guo Shengkun, ordenou uma investigação "rápida" e exigiu "controles reforçados", segundo a agência oficial Xinhua.

Atentados com bomba são relativamente frequentes na China. No ano passado, um homem de 29 anos, com uma grande dívida, feriu quatro pessoas em um aeroporto de Xangai ao detonar uma bomba de fabricação caseira, antes de cortar o pescoço.

Em 2015, um desempregado provocou uma explosão em um parque da província Shandong. O autor do ataque e outra pessoa morreram na ação, que deixou 24 feridos.

Em 2013, um homem de cadeira de rodas explodiu uma bomba de fabricação caseira no aeroporto internacional de Pequim. Ele afirmava protestar contra a brutalidade policial e foi condenado a seis anos de prisão.

Nos últimos anos também foram registrados atentados com explosivos atribuídos pelas autoridades aos "extremistas" uigures (minoria muçulmana que vive em Xinjiang, noroeste da China), incluindo um atentado suicida com caminhão-bomba na emblemática praça Tiananmen (Paz Celestial) de Pequim em 2013.

but-lth/bar/acc/me/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos