Explosão de caminhão-tanque mata 139 pessoas no Paquistão

Islamabad, 25 Jun 2017 (AFP) - Ao menos 139 pessoas morreram neste domingo na explosão de um caminhão-tanque que transportava combustível na região central do Paquistão, muitas delas quando tentavam recuperar a gasolina derramada no solo.

Muitos paquistaneses estavam nas estradas neste domingo para reuniões em família por ocasião do Eid al-Fitr, festividade que encerra o mês sagrado do jejum muçulmano do Ramadã

Os bombeiros lutavam para controlar o incêndio, que atingiu mais de 100 veículos - carros, micro-ônibus e motos - na estrada que liga a cidade portuária de Karachi, no sul o país, à província de Punjab, no centro.

De acordo com a polícia, o caminhão transportava 40.000 litros de combustível de Karachi a Lahore, a capital de Punjab.

O acidente aconteceu nas primeiras horas de domingo perto da cidade de Ahmedpur East, 500 quilômetros ao sul de Lahore.

"Ao menos 139 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas", declarou Rana Mohammad Saleem Afzal, funcionário do governo local, à televisão pública.

A área próxima ao incêndio estava repleta de utensílios de cozinha, panelas e recipientes que as vítimas carregavam para armazenar a gasolina.

"Os moradores da cidade vizinha de Ramzanpur Joya correram para o local do acidente com baldes e outros recipientes. Várias pessoas em motos pararam com o objetivo de recolher o combustível", disse à AFP o chefe da polícia regional, Raja Riffat, que confirmou o balanço de vítimas.

Testemunhas afirmaram que um pneu furou após a necessidade de uma manobra brusca, o que levou o caminhão a tombar, informou o chefe de polícia.

"Estamos em choque. Ninguém consegue explicar o que aconteceu", disse Hafiz Sohail, que esperava para recuperar os corpos do tio e do primo de 13 anos, que morreram quando tentavam recuperar um pouco de gasolina

"O que faremos agora com esta gasolina? Para que serviu tudo isto?", lamentou Sohail, que apontou para um balde no chão e disse ter visto o momento em que o motorista gritou, em vão, para que as pessoas se afastassem do caminhão.

Entre os mais de 100 feridos hospitalizados, muitas pessoas estão com queimaduras em mais de 80% do corpo, segundo uma fonte médica que pediu anonimato.

O exército do Paquistão enviou helicópteros para transportar os feridos e os hospitais mais próximos estavam em alerta.

O primeiro-ministro Nawaz Sharif expressou a sua "profunda tristeza" e ordenou que as autoridades locais forneçam "toda a assistência médica necessária às vítimas".

O Paquistão tem um triste histórico de acidentes de trânsito fatais, uma consequência do péssimo estado de suas estradas, da falta de manutenção dos veículos e da imprudência dos motoristas.

Ao menos 62 pessoas, incluindo mulheres e crianças, morreram carbonizadas no sul do país em 2015 quando o ônibus em que viajavam bateu em um caminhão-tanque, que transporta gasolina e pegou fogo.

O Paquistão também enfrenta problemas para conter uma crise energética crônica e sofre cortes contínuos de abastecimento, o que asfixia a indústria nacional e aumenta o descontentamento da população.

O fim do Ramadã foi marcado por uma série de atentados que deixaram pelo menos 57 mortos no país, o que levou as autoridades a intensificar a segurança no país.

wh-mmg/cnp/ra-pc/age/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos