Arábia Saudita afirma que exigências ao Catar não são negociáveis

Washington, 28 Jun 2017 (AFP) - A Arábia Saudita reafirmou nesta terça-feira que suas exigências em relação ao Catar não são negociáveis, ao mesmo tempo em que o secretário americano de Estado, Rex Tillerson, conversava com o chanceler catariano sobre a crise no Golfo.

O chanceler saudita, Adel al-Jubeir, que também esteve em Washington, se manteve inflexível diante das tentativas de diplomatas americanos e kuwaitianos de mediar a disputa, que tem isolado o Catar, um aliado dos Estados Unidos.

"Nossas exigências em relação ao Catar não são negociáveis. Depende agora do Catar deixar de dar apoio ao extremismo e ao terrorismo", afirmou Jubeir no Twitter.

Riad elaborou uma lista de 13 exigências para o Catar, incluindo o fechamento da rede de televisão Al-Jazeera, redução das relações diplomáticas com o Irã e fechamento de uma base militar turca no emirado.

Os Estados Unidos advertiram que algumas destas exigências serão difíceis de aceitar por parte do Catar, e pediu à Arábia Saudita que realize outra lista com propostas "razoáveis e possíveis".

Tillerson exortou as partes a "permanecer abertas à negociação, que é a melhor maneira de se resolver o conflito," segundo o departamento de Estado.

Sobre as declarações de Al-Jubeir, o secretário de Estado disse esperar "que todas as partes continuem conversando de boa fé".

Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito e Barein anunciaram no dia 5 de junho a ruptura das relações com o Catar, país que acusam de apoiar grupos extremistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos