Corte dos EUA detém deportações de cidadãos iraquianos

Chicago, 28 Jun 2017 (AFP) - Um juiz americano deteve as deportações de todos os cidadãos iraquianos - algumas das quais estavam previstas para a terça-feira - com o argumento de que poderiam ser torturados ou assassinados se retornassem ao seu país.

Nesta segunda-feira (27), o juiz federal Mark Goldsmith tornou extensiva a todo o país uma ordem precedente que atendia majoritariamente cristãos caldeus, que foram detidos em operações anti-imigração no estado de Michigan, alarmando a comunidade iraquiana local.

O juiz disse que sua última ordem detém temporariamente os procedimentos de deportação contra 1.444 pessoas no Tennessee e no Novo México, 85 das quais seriam deportadas na terça-feira.

A resolução do juiz ocorre em um momento em que o governo se prepara para bloquear a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de seis países predominantemente muçulmanos, depois que a Suprema Corte autorizou a entrada em vigor transitória e parcial do controverso decreto migratório do presidente Donald Trump.

A decisão do máximo tribunal não é definitiva, e deve passar por nova audiência.

Consultado pela AFP, o porta-voz da ICE (agência federal de imigração) Khaalid Walls disse que "atualmente estuda a ordem judicial para determinar os passos apropriados a seguir".

Washington e Bagdá acertaram em março a retirada do Iraque da primeira lista de países de maioria muçulmana cujos cidadãos estavam proibidos de entrar nos Estados Unidos, em troca de o governo iraquiano aceitar imigrantes deportados.

Ao menos 100 cidadãos do Iraque com antecedentes criminais foram detidos na região de Detroit, no início do mês, e aguardam a deportação para seu país.

"A comunidade foi surpreendida", disse à AFP Nathan Kalasho, membro da comunidade caldeia cristã iraquiana na área de Detroit.

"Não enfrentávamos uma crise como esta nos Estados Unidos há vários anos", destacou Kalasho, que trata de articular um esforço legal com a União Americana de Liberdades Civis (ACLU, sigla em inglês) contra as deportações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos