EUA exorta China a dar 'liberdade de movimento" a nobel Liu Xiaobo

Pequim, 27 Jun 2017 (AFP) - Os Estados Unidos exortaram a China nesta terça-feira a conceder ao prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo e a sua esposa "liberdade de movimento", após as autoridades confirmarem que o ativista, que sofre de câncer, foi levado da prisão para um hospital.

Liu, que recebeu o Nobel da Paz em 2010 enquanto cumpria 11 anos de prisão por subversão, foi libertado por razões médicas após ser diagnosticado com câncer terminal no mês passado, revelou seu advogado na segunda-feira.

As autoridades penitenciárias do nordeste da província de Liaoning confirmaram que o ativista pela democracia foi internado em um hospital da cidade de Shenyang, onde está sendo tratado por uma equipe de "oito conhecidos oncologistas chineses".

Liu Xia, mulher do ativista, está em prisão domiciliar em Pequim desde 2010.

As condições da liberdade condicional de Liu não estão claras e uma porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Pequim afirmou que "trabalham para obter mais informação" sobre a situação legal e médica do ativista.

"Exortamos as autoridades chinesas a não apenas libertar Liu, mas também a retirar a prisão domiciliar de sua esposa, Liu Xia", disse a porta-voz à AFP.

Pequim deveria "dar [a Liu Xiaobo e a sua esposa] proteção e liberdade de movimento e acesso ao atendimento médico que desejarem, como têm direito segundo a Constituição chinesa, o sistema legal e os compromissos internacionais".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos